O Monitor da Perfuração:um projeto da epbr, oferecido por

Eneva

Demanda por poços dispara com leilões da ANP

Por epbr | 21.12.2018

A demanda pela construção de poços offshore disparou no país depois da realização de quatro leilões de áreas no pré-sal e dois para áreas de concessão. São ao todo 63 novos blocos exploratórios no mar que já somam demanda para 55 poços offshore, sendo 50 somente nas áreas do pré-sal das bacias de Campos e Santos.

A epbr fez levantamento a partir dos dados públicos do Ibama para licenciamento de campanhas de perfuração de poços. Os números mostram que a ExxonMobil lidera os pedidos de perfuração de poços com 22 sendo licenciados para sete áreas, sendo uma de partilha da produção (Titã) e seis no regime de concessão.

A Shell também está licenciando mais de uma dezena de poços exploratórios. São 15 poços nas áreas de Sul de Gato do Mato, Alto de Cabo Frio Oeste, Saturno e o bloco C-M-791.

As petroleiras que atuam no offshore brasileiro adotaram a estratégia de iniciar o licenciamento dos poços antes mesmo de realizar campanha para aquisição ou a interpretação de dados sísmicos. A ideia é tentar ganhar tempo fazendo as duas etapas concomitantemente. O Ibama alerta, contudo, que isso pode sobrecarregar o trabalho no órgão ambiental.

Os números mostram que a atividade de perfuração exploratória offshore tende a crescer consideravelmente depois dos leilões. Neste ano, até esta sexta-feira (21/12), foram perfurados quatro poços exploratórios offshore. São dois poços em Carcará, operado pela Equinor, e dois poços offshore operados pela Petrobras, um em Peroba e outro no ES-M-596, em águas profundas do Espírito Santo.

Bem vindo de volta!

Entre na sua conta abaixo

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist