Publicidade

Petróleo: panorama da semana de 6 a 10 de agosto

Investing.com – Investidores de petróleo continuarão a se concentrar em uma série de fatores pessimistas que afetam o mercado na próxima semana, incluindo evidências emergentes de excesso de oferta e renovadas preocupações com a desaceleração da demanda global.

Os preços do petróleo estiveram na defensiva recentemente, com o WTI registrando sua quinta perda semanal consecutiva na sexta-feira, enquanto o Brent sofreu sua quarta semana de quedas em cinco, em meio a relatos de aumentos mais rápidos de oferta dos principais produtores mundiais.

A referência norte-americana, o petróleo bruto West Texas Intermediate (WTI), encerrou a sessão de sexta-feira em queda de US$ 0,47, ou cerca de 0,7%, e era negociado a US$ 68,49 o barril, com o contrato caindo 0,3% no final da semana passada.

petróleo Brent com vencimento em outubro, a referência global, recuou US$ 0,24 para US$ 73,21 o barril, com o contrato registrando uma queda na semana em torno de 2,1%.

Desenvolvido por Investing.com

A produção de petróleo da Rússia teve aumento de 150.000 barris por dia em julho ante o mês anterior e totalizou 11,21 milhões de barris por dia, conforme mostraram dados do ministério da energia nesta quinta-feira.

A produção do maior exportador do mundo, a Arábia Saudita, também aumentou recentemente, chegando a 11 milhões de barris por dia; a produção dos EUA também está em torno desse nível, elevando as indicações de uma oferta mais ampla.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e outros produtores, liderados pela Rússia, concordaram no mês passado em flexibilizar os limites de produção para compensar a perda de oferta da Líbia, da Venezuela e do Irã.

O acordo efetivamente aumenta a produção de petróleo combinada em 1 milhão de barris por dia.

Enquanto isso, a preocupação com a desaceleração do crescimento econômico por causa de uma disputa comercial entre os Estados Unidos e a China também pressiona o mercado.

A China anunciou que irá impor tarifas sobre U$ 60 bilhões em produtos norte-americanos, o mais recente acontecimento em uma crescente disputa comercial que levantou preocupações sobre uma desaceleração no crescimento econômico que poderia atingir a demanda por petróleo bruto.

Além disso, investidores também irão observar os acontecimentos no Oriente Médio na próxima semana, já que a primeira onda de sanções dos EUA contra o Irã entra em vigor na segunda-feira.

As sanções estão sendo restabelecidas depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abandonou o acordo nuclear com o Irã no início deste ano. As primeiras sanções incluem negociações nos setores aeroespacial, automotivo e de metais. As sanções sobre o petróleo deverão entrar em vigor em novembro.

Antes da semana que está por vir, a Investing.com compilou uma lista com estes e outros eventos significativos que podem afetar o mercado de petróleo.

Terça-feira, 7 de agosto

O Instituto Americano de Petróleo deverá publicar sua atualização semanal sobre a oferta de petróleo nos EUA.

Quarta-feira, 8 de agosto

A Administração de Informações de Energia dos EUA deverá divulgar seu relatório semanal sobre os estoques de petróleo.

Sexta-feira, 10 de agosto

A Baker Hughes divulgará seus dados semanais sobre a contagem de sondas de petróleo nos EUA.



Comentários no Facebook