Publicidade

O que Lula sinaliza para o setor petróleo em um terceiro governo

O ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, vai coordenar a campanha do ex-presidente Lula

O Partido dos Trabalhadores anunciou nesta segunda-feira (18/12) que o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, será o coordenador da campanha do ex-presidente Lula à Presidência da República. Também vão compor a coordenação da campanha Marcio Pochmann, que foi presidente do IPEA durante o governo Lula, e Renato Simões, que foi assessor especial para Participação Social na Secretaria-Geral da Presidência da República e na Secretaria de Governo.

Pesquisa divulgada no começo do mês pelo Datafolha mostra que Lula lidera todos os cenários para a eleição presidencial em 2018, com Jair Bolsonaro (PSC) em segundo lugar e, na ausência do petista, assumindo a liderança na disputa. Os nomes do PSDB nas simulações de voto, Geraldo Alckmin e João Doria, têm desempenho similar. Em situação em que o atual presidente Michel Temer (PMDB) aparece como candidato, ele obtém apenas 1% das intenções de voto. 

A E&P Brasil fez um levantamento nos últimos discursos nas redes sociais feitos por Lula para tentar ajudar a entender o que um terceiro pode representar para o setor de petróleo e gás no país. 

 

Petrobras 

 

  Repetro  

 

Indústria Naval

Conteúdo Local  

Gás Liquefeito de Petróleo (GLP)

 



Editor-Chefe da Agência E&P Brasil

Comentários no Facebook

Saiba mais