Publicidade

Conheça o Projeto Integrado do Parque das Baleias

O FPSO P-58 produz no Parque das Baleias, na parte capixaba da Bacia de Campos
O FPSO P-58 produz no Parque das Baleias, na parte capixaba da Bacia de Campos

A Petrobras pretende instalar no quatro trimestre de 2021 um novo FPSO na parte Norte do campo de Jubarte, no Parque das Baleias, na área capixaba da Bacia de Campos. A unidade faz parte do Projeto Integrado do Parque das Baleias, que pretende otimizar a malha de drenagem para aumentar o fator de recuperação da província petrolífera.

O novo FPSO receberá ao todo 19 poços, sendo sete novos poços produtores e quatro poços injetores do campo de Jubarte; dois poços produtores e quatro injetores do FPSO P-58, uma das principais plataformas em operação no país, e outros dois poços produtores que estão atualmente interligados ao FPSO Capixaba. Todos os poços, inclusive os injetores, serão equipados com DHSV e produtores terão o gas-lift como método de elevação.



 Os poços novos deverão ser interligados individualmente ao FPSO através de dutos flexíveis a partir de suas respectivas ANMs (Árvores de Natal Molhada). Serão laçados ao todo 280 km de dutos flexíveis e umbilicais. Os dutos flexíveis deverão ser conectados às ANMs através de Módulos de Conexão Vertical (MCV). Do lado do FPSO os dutos serão interligados em catenária livre.

O novo FPSO, com ancoragem tipo Spread Mooring, será instalado em lâmina d’água de 1.400 metros. A previsão é que o contrato de afretamento seja de 22,5 anos. O pico de produção é de aproximadamente 100 mil barris por dia de petróleo e 4 milhões de m3/dia de gás natural.

FPSO Integrado Pq das Baleias

Capacidade total de processamento ao líquido (bpd): 240.000

Capacidade de produção ao óleo (bpd):100.000

Capacidade da planta de água produzida (bpd/dia): 180.000

Capacidade de compressão de gás (NmÑ/dia):5.000.000

Capacidade da planta de injeção de água dessulfatada (bpd):330.000

Capacidade total de armazenamento de oleo da UEP (bbl): 1.000.000

O escoamento de óleo será por meio de offloading para navios aliviadores e o gás será escoado através do Gasoduto Sul-Norte Capixaba (GSNC) até a Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC). Para a adequação do escoamento de gás deverá ser realizada uma derivação no Gasoduto Sul Capixaba (GSC), interligando através de um duto flexível o Gasoduto Sul Capixaba (GSC) ao Gasoduto Sul Norte Capixaba (GSNC).

O novo FPSO será interligado ao PLEM-Y-CHT já existente, de modo que o escoamento do gás será realizado utilizando parte do GSC, seguindo através da plataforma fixa MOP-1 para o Gasoduto Sul-Norte Capixaba (GSNC) até a Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC).



Comentários no Facebook

Saiba mais