Publicidade

Brent chega a US$ 80 o barril em meio a preocupações com oferta

Investing.com – A cotação do petróleo Brent estava em alta nesta terça-feira, já que investidores permaneciam preocupados com a oferta global e produção futura do Irã e da Venezuela.

A cotação do petróleo subiu na segunda-feira após Mike Pompeo, secretário de Estado dos EUA, ter dito em uma entrevista que o país irá exigir grandes mudanças no Irã após a saída do acordo nuclear, com a possibilidade de sanções ainda mais duras. Qualquer novo acordo nuclear irá exigir que o Irã pare de enriquecer urânio e retire o apoio de grupos militantes na região, disse a Casa Branca na segunda-feira.

A saída do acordo com o Irã deixou os investidores apreensivos, já que o país é responsável por cerca de 4% do petróleo do mundo. Contratos futuros de petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, saltavam 1,14%, e eram negociados a US$ 80,12 o barril às 11h10, seu nível mais alto desde novembro de 2014. Além disso, contratos futuros de petróleo dos EUA avançavam 0,10% para US$ 72,42 o barril.

Os preços do petróleo subiram mais de 70% no ano passado devido ao aumento da demanda e à oferta restrita pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). A preocupação de que os EUA irão impor novas sanções à Venezuela também impulsionava os preços, já que a produção de petróleo do país continua a cair para seu nível mais baixo em décadas em meio à crise política e econômica.

Em outras negociações de energia, contratos futuros de gasolina avançavam 0,35% para US$ 2,2717 o galão, ao passo que o óleo de aquecimento tinha ganhos de 0,81% e era negociado a US$ 2,2923 o galão. Contratos futuros de gás natural avançavam 2,10%, para US$ 2,869 por milhão de unidades térmicas britânicas.

Investidores aguardam dados semanais dos EUA. O Instituto Americano de Petróleo, grupo do setor petrolífero, deve divulgar seu relatório semanal às 17h30. Dados oficiais da Administração de Informação de Energia serão divulgados na quarta-feira em meio a previsões de redução dos estoques de petróleo em 2,8 milhões de barris.


Comentários no Facebook